Cadeirinhas: Saiba qual dispositivo é o mais adequado de acordo com a idade da criança - Cabeça de Criança
  • Cadeirinhas: Saiba qual dispositivo é o mais adequado de acordo com a idade da criança

    Foto: Michel Curi / Flickr

    Foto: Michel Curi / Flickr / Licença (CC BY 2.0)

    Especialistas advertem: Não existe meio de transportar crianças em carros de forma segura sem o uso de dispositivos de retenção veicular infantil (bebê conforto, cadeirinha ou assento de elevação).

    Nesta semana o presidente Jair Bolsonaro apresentou na Câmara dos Deputados um projeto de lei que prevê eliminar a multa para os motoristas que transportarem crianças em veículos sem o uso desses dispositivos, e entidades ligadas à saúde e segurança infantil e segurança no trânsito se posicionaram contra a proposta. Leia mais sobre o posicionamento dessas entidades.

    No Brasil, desde 2008, é obrigatória a utilização de dispositivos de retenção veicular para o transporte de crianças em automóveis até os sete anos e meio de idade. O descumprimento dessa regra pode gerar multa para o condutor do veículo.

    Saiba qual dispositivo é mais adequado para cada faixa de idade:

    Crianças de zero a um ano de idade – Bebê conforto
    Do momento em que nascem até completarem pelo menos um ano de idade – ou até atingirem o peso máximo indicado pelo fabricante (geralmente 13 kg) –, as crianças devem utilizar o bebê conforto.

    Esse equipamento é instalado de costas para o movimento, em um ângulo de inclinação de 45º. Ele tem formato de concha e acomoda melhor e protege os bebês.

    A Associação Americana de Pediatria (AAP) recomenda que o bebê conforto ou a cadeirinha fiquem de costas para o banco da frente até os dois anos de idade ou até a criança atingir o peso e a altura máximas descritos pelo fabricante.

    Crianças de um aos quatro anos de idade – Cadeirinha 
    As crianças devem usar a cadeirinha de um até aproximadamente os quatro anos de idade – ou enquanto estiverem na faixa de peso indicado limite pelo fabricante do dispositivo (geralmente de 9 kg a 18 kg).

    Esse equipamento é instalado de frente para o movimento, na posição vertical. Possui sistema de retenção de cinco pontos, como nos cintos de segurança de veículos de corrida profissional, o que distribui melhor a energia do impacto em caso de colisão.


    Crianças de quatro 
    até sete anos e meio de idade – Assento de elevação (ou booster) 

    Booster com encosto
    Booster sem encosto

    Dos quatro até sete anos e meio de idade – ou enquanto estiverem na faixa de peso indicado pelo fabricante do dispositivo (geralmente de 15 kg a 36 kg) –, as crianças devem usar o assento de elevação (ou booster), que pode ser com ou sem encosto.

    Esse equipamento serve para que a criança, sentada, fique mais alta. Assim, o cinto de segurança do carro passará nas partes do corpo que são capazes de suportar o impacto de uma colisão ou freada brusca (quadril, centro do peito e meio do ombro).

     

    A partir de 36 quilos e 1,45 de altura – sem dispositivo – só com cinto

    Verifique qual o limite máximo de peso suportado (geralmente de 15 kg a 36 kg) pelo assento de elevação. Quando a criança ultrapassar esse peso, ela provavelmente já não precisará mais utilizar o equipamento.

    Mas é importante observar também a altura da criança. Os cintos de segurança dos carros são projetados para proteger adequadamente pessoas com mais de 1,45 m de altura. Ou seja, se seu filho ainda não tem essa altura, ele ainda precisa utilizar o assento de elevação para que o cinto de segurança passe pelas partes corretas de seu corpo (quadril, centro do peito e meio do ombro).

    Observe se a criança consegue sentar-se confortavelmente no banco do carro, apoiando totalmente as costas no encosto, dobrando os joelhos sem escorregar para frente e se o cinto não mais incomoda seu pescoço e sua barriga.

    Jamais permita que uma criança coloque a tira transversal do cinto de segurança de três pontos sob o braço ou atrás das costas, pois assim ela não estará segura em caso de colisão ou freada brusca.

    Só a partir dos 10 anos de idade que a criança pode ser transportada no banco da frente do veículo. Antes dessa idade ela deve permanecer no banco de trás do automóvel.

    Fonte: Criança Segura

  • Back to top