Xixi na cama: até quando é normal? - Cabeça de Criança
  • Xixi na cama: até quando é normal?

    George Hodan



    Foto: George Hodan

    Quem tem filhos pequenos sabe: época de desfralde é uma época em que a família normalmente lida com muitos acidentes de percurso, escapes de xixi e cocô e, em maior ou menor grau, dependendo da criança, alguns (ou muitos) xixis na cama.

    Mas até quando é normal a criança apresentar enurese noturna – o nome médico para a perda involuntária de urina durante o sono?

    Segundo o urologista Bruno Cezarino, é normal que a criança sofra de alguma incontinência urinária até por volta de quatro anos. De acordo com o médico, 90% das crianças para de fazer xixi na cama até completar cinco anos de idade.

    Se a enurese noturna, até essa idade, for um sintoma único, na grande maioria dos casos ela é apenas um sinal de imaturidade que vai se resolver sozinha. Mas, se for acompanhada de outros problemas, como infecções urinárias de repetição, dificuldade em defecar ou dificuldade em ganho de peso, por exemplo, deve ser avaliada por um médico.

    “É por isso que é importante que o processo de desfralde seja acompanhado por um médico, ou o pediatra ou um urologista”, diz Cezarino.

    Supondo que a criança ultrapasse os cinco anos e continue fazendo xixi na cama com uma certa frequência, – digamos, como exemplo, uma vez por semana, em média – também é necessário procurar uma avaliação médica, com o pediatra ou urologista.

    O profissional vai avaliar se o xixi na cama pode ser uma enurese secundária, ou seja, um sintoma de doenças como infecções ou até alterações na medula espinhal, ou uma enurese primária, que é quando a criança ainda não adquiriu o controle da micção.

    O médico pode solicitar exames e pedir para a família fazer um diário miccional, em que se anota a frequência e quantidade de micção da criança.

    Descartado algum problema físico mais grave, o médico pode orientar mudanças de hábito como colocar a criança para urinar em horários fixos ou acordá-la à noite para ir ao banheiro. Em alguns casos, pode-se receitar medicamentos que reduzem a produção de urina.

    A enurese noturna também pode ser provocada por eventos emocionalmente estressantes, como morte na família, separação dos pais, mudanças e outros acontecimentos. Por isso é sempre importante consultar o médico e investigar as causas do problema.

    Para Cezarino, o mais importante é que os pais ofereçam acolhimento à criança que sofre de enurese noturna e não a punam, briguem ou deixem o filho de castigo por fazer xixi na cama. “Com a punição, a tendência é o problema não melhorar”, diz. Uma coisa que se pode fazer, na orientação do urologista é, caso a criança já compreenda o que fazer, pedir para que ela mesma troque de pijama e a roupa de cama durante a noite caso o xixi escape. “Essa responsabilidade ajuda a motivar a criança e se esforçar para não repetir o comportamento”, diz o médico.

  • Back to top