Escolas estaduais de São Paulo se preparam para volta às aulas gradual - Cabeça de Criança
  • Escolas estaduais de São Paulo se preparam para volta às aulas gradual

    Sala de aula



    Sala de aula
    Foto de Taylor Wilcox por Unsplash

    Após mais de seis meses fechadas por conta da pandemia do novo coronavírus, cerca de cinco mil escolas estaduais de São Paulo se preparam para a volta às aulas gradual. No dia 7 de outubro, alunos do ensino médio poderão retomar as atividades presenciais. Já o retorno dos estudantes do ensino fundamental está previsto para 3 de novembro. A decisão é facultativa.

    LEIA MAIS:

    Sorocaba é uma das cidades do interior paulista onde as aulas presenciais na rede estadual já foram retomadas, embora com poucos alunos, segundo o portal Terra. Leonardo Camargo Cleto, de 15 anos, é um deles. “Estou feliz por voltar, estava sentindo muita falta da escola, saudades dos amigos, professores e funcionários. Falei com meus pais e eles concordaram”.

    Na Escola Estadual Professor Geraldo do Espírito Santo Fogaça de Almeida, a “Gesfa”, foram instalados totens e dispensers para álcool em gel nos corredores e nas salas de aula, o chão recebeu marcações para distanciamento social e os bebedouros tradicionais foram substituídos por recipientes com água potável e copos descartáveis.

    Segundo o diretor do colégio, já chegaram os estoques de materiais referentes aos protocolos sanitários – máscaras, escudos faciais, termômetros, toalhas e copos descartáveis. Além disso, uma sala foi adaptada para servir como local de isolamento em caso de suspeita de covid-19.

    De acordo com o subsecretário de articulação regional da Secretaria de Educação do Estado, Henrique Pimentel Filho, 70 das 81 escolas de Sorocaba estão prontas para voltar. “As demais estão em preparação, fazendo reformas em banheiros, ajustando detalhes. A ideia é que, até o retorno, todas tenham recebido álcool em gel, máscaras, o que for preciso”, disse.

    Outras cidades

    A menos de duas semanas para volta às aulas gradual, algumas escolas estaduais de Itu ainda não estão em condições de receber os estudantes. A professora de artes Adriana Santos, que leciona em quatro instituições, disse ao Terra que os materiais fornecidos não estavam completos: “Em uma das minhas escolas, chegou o álcool em gel, mas não vieram os totens. As máscaras também não chegaram.”

    Na Escola Estadual Presidente Artur Bernardes da Silva, em Cerquilho, a situação é desfavorável. Segundo o professor Emerson Abud declarou ao Terra, as salas são mal ventiladas, com janelas apenas para o pátio, que é fechado pela cantina e refeitório.

    Em seis municípios da região, as aulas nas redes estadual e municipal foram suspensas até o fim do ano. A Prefeitura de Itu ainda analisa o pedido do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) para adiar a retomada das atividades para 2021.

    Em Campinas, 70 mil alunos da rede municipal se preparam para retornar no dia 7 de outubro; nas escolas estaduais a volta é opcional. Já Ribeirão Preto prevê a reabertura da rede estadual para 20 de outubro.

    São José dos Campos adiou as aulas das escolas municipais para 2021, mas deve seguir o cronograma do governo paulista quanto à rede estadual. Ainda não há uma decisão sobre a volta dos alunos às escolas estaduais em São José do Rio Preto e Bauru.

  • Back to top