Governo adia retomada de aulas presenciais em São Paulo para 5 de outubro
  • Governo de SP adia retomada das aulas presenciais para 5 de outubro, mas escolas poderão reabrir em setembro para atividades de acolhimento

    aulas presenciais



    aulas presenciais
    Photo by CDC on Unsplash

    O governador João Doria vai anunciar, nesta sexta-feira (7), que a retomada das aulas presenciais das escolas do estado de São Paulo, públicas e privadas, será adiada para o dia 5 de outubro. No entanto, as escolas de regiões que já estiverem na fase amarela da retomada por 28 dias poderão reabrir as portas a partir do dia 8 de setembro, de forma opcional, para atividades de acolhimentos dos alunos cujos pais precisam voltar ao trabalho e não tem com quem deixar os filhos.

    As informações são da colunista Raquel Landim, da CNN, e do jornal Folha de São Paulo.

    As escolas estão fechadas desde meados de março por conta da pandemia do coronavírus. Inicialmente o retorno às aulas presenciais estava previsto, inicialmente, para o dia 8 de setembro, se todo o estado de São Paulo permanecesse na fase amarela, a terceira do plano de reabertura controlada, por 28 dias.

    LEIA TAMBÉM:
    Novas regras aumentam chances de reabertura das escolas de SP em setembro, mas pais poderão decidir se filhos voltam ou não
    Justiça volta a suspender aulas presenciais nas escolas particulares do Distrito Federal
    Estado do Rio prorroga suspensão das aulas presenciais até dia 20

    No final de julho um decreto do governo flexibilizou os critérios para reabertura e os reduziu para 80% do estado de São Paulo na fase amarela por 28 dias, e os 20% restantes nessa mesma fase por pelo menos duas semanas. Mesmo com a flexibilização, essas metas não está sendo atingidas. Muitas cidades ainda estão nas fases laranja e vermelha, quando só os serviços essenciais estão funcionando.

    Segundo a reportagem da Folha, menos de 60% do estado se encontra na fase amarela. Os estágios de abertura consideram fatores como número de internações e mortes decorrentes do coronavírus e quantidade de leitos ocupados em UTIs.

    A volta opcional em setembro é uma maneira de atender tanto à pressão das escolas particulares pela reabertura, já que muitas famílias estão cancelando suas matrículas, quando aos receios de pais e professores que ainda não se sentem seguros com o retorno presencial total às aulas.

  • Back to top