Silvio Santos faz concurso de miss com meninas de maiô e revolta a internet - Cabeça de Criança
  • Silvio Santos faz concurso de miss com meninas de maiô e revolta a internet



    Silvio Santos faz concurso de miss com crianças de maiô e revolta a internet / SBT/Divulgação

    Entenda como a erotização infantil e a adultização precoce pode prejudicar o desenvolvimento das crianças

    O Programa Silvio Santos exibido neste domingo (21) causou revolta entre vários internautas com o concurso “Miss Infantil”.

    Em uma das etapas do concurso, meninas de 7 a 10 anos desfilam de maiô e são votadas pelas penas mais bonitas, colo mais bonito, rosto mais bonito e o conjunto mais bonito. 

    No Twitter, muitas pessoas criticaram a exposição do corpo das crianças no programa.

    “Mas o problema todo não era o beijo gay?’, escreveu o usuário do Twitter , se referindo à tentativa de censura do prefeito Marcelo Crivella a uma revista em quadrinhos que mostrava uma cena de beijo entre dois garotos durante a Bienal Internacional do Livro no Rio de Janeiro, algumas semanas atrás.


    “meu corpo treme de raiva e de desespero, não é possível que há pessoas que deixam isso acontecer.”, escreveu @_malusmp.

    Para a pediatra Márcia Yamamura, professora da Escola Paulista de Medicina, o problema desse tipo de evento é a pressão estética sobre as meninas e a adultização e erotização precoce das crianças. As meninas podem achar que devem ter o corpo bonito sempre, e isso pode prejudicar o processo de construção da autoimagem, autoestima e autoaceitação.

    E é problemático pautar a autoimagem das garotas em cima dos atributos físicos, já que uma menina considerada feia ou menos bonita pode sentir que tem menos valor do que as outras.

    Segundo Márcia, vemos muitos adultos emocionalmente disfuncionais e com baixa autoestima na sociedade hoje em dia, e muitos desses problemas emocionais vêm da infância.

    Além disso, a adultização e erotização precoce pode deixar as meninas mais vulneráveis a situações de abuso sexual, já que elas podem ter mais dificuldade em distinguir um comportamento normal de um adulto de um contato físico que passa dos limites.

    A pediatra também alerta que estimular a sexualidade precocemente é muito diferente de oferecer educação sexual e ensinar consciência corporal às crianças, que é um processo saudável e importante. “A criança deve ser instruída sobre seu corpo, sobre o aparecimento de pelos pubianos, sobre menstruação, até para saber diferenciar um carinho normal de abuso”, diz Márcia.

    Mas a pediatra também faz um outro alerta: “vejo um pouco de hipocrisia nas críticas ao programa”, diz. Para a médica, muita gente que acha que a emissora passou dos limites também adultiza as próprias filhas, às vezes sem perceber, ao elogiar quando a criança dança ao som de uma música com letras apelativas sexualmente, ou quando posta na internet um vídeo da criança rebolando, deixa que os filhos assistam a conteúdos inadequados para a idade na TV ou na internet, ou então permitindo que a criança use maquiagem, sapatos com salto ou roupas com cara de adulta.

    “Criança tem que ser criança. O desenvolvimento psicológico tem que acompanhar o desenvolvimento corporal”, diz Márcia.

    A pediatra ainda completa que acha errado “demonizar” Silvio Santos pelo programa. “É claro que a emissora busca o ibope, mas os pais permitiram que as crianças participassem, o público votou, e a audiência assistiu”, diz. Ou seja, para a médica, a responsabilidade por cuidar da saúde emocional das crianças é de toda a sociedade.

     

     

     

     

  • Back to top