Sobrevivendo ao inverno: dicas de como usar aquecedor com crianças em casa - Cabeça de Criança
  • Sobrevivendo ao inverno: dicas de como usar aquecedor com crianças em casa

    aquecedor



    Imagem de moise gh-marian por Pixabay

    O inverno chegou para valer neste mês de julho, pelo menos nas regiões Sul e Sudeste do Brasil.

    Para espantar o frio, muitas famílias usam aquecedores em casa.

    Mas é preciso ficar atento a alguns cuidados com os aquecedores, para não causar nenhum prejuízo para a nossa saúde e a dos pequenos.

    Fizemos algumas perguntas para a médica pediatra Milena Catani, de São Paulo, para saber quais são os principais cuidados na hora de escolher e usar um aquecedor.

    1 – Qual é o melhor aquecedor do ponto de vista da saúde infantil?

    aquecedor
    Aquecedores a óleo / Foto: divulgação

    Os aquecedores a óleo são os mais indicados, pois mantêm o local aquecido por mais tempo após desligados, gerando menos diferença brusca de temperatura entre ambientes.

    Além disso, o aquecedor a óleo não emite som nem luminosidade, ou seja, é mais adequado para quem precisa de ambiente tranquilo para dormir. Por fim, eles não ressecam o ar do ambiente.

    O ar seco pode levar a inconvenientes como sangramento do nariz, tosse, garganta irritada, olho seco e crises alérgicas como a asma e a rinite, principalmente nas crianças mais propensas.

    Climatizador de ar

    Os climatizadores também são uma excelente opção de aquecimento no inverno, já que eles contam com um reservatório de água, portanto não retiram a umidade do ar. Outra vantagem é que esse tipo de aparelho pode ser usado o ano inteiro, pois tem também a função de resfriar. A desvantagem: são menos silenciosos.

     

    aquecedor
    Aquecedor halógeno

    Os aquecedores elétricos, halógenos/incandescentes ou os termoventiladores, aqueles que têm um ventilador que espalha o ar quente, são opções mais baratas.

    Porém, não são os melhores modelos do ponto de vista da saúde, pois eles retiram a umidade do ar, já que há troca de calor entre o ar e o ambiente de forma direta. Além disso, os modelos mais antigos do tipo incandescente podem causar queimaduras – é preciso tomar cuidado redobrado com esse tipo.


    2 – O que fazer, além de escolher o modelo, para minimizar o ressecamento do ar?

    Para melhorar a qualidade do ar, você pode usar o popular truque de colocar uma bacia com água ou toalha molhada no ambiente antes e durante o uso do aquecedor.

    “Sempre oriento os pais a umidificarem as narinas das crianças com soro fisiológico em tempo seco, isso ajuda bastante na prevenção de desconforto e doenças respiratórias”, diz Milena.

    Não é recomendado usar um umidificador para combater o ressecamento do ar causado pelo aquecedor, pois isso precipita as partículas de água e pode tornar o ambiente muito úmido. “Isso contribui para proliferação de fungos, aumentando as alergias e infecções”, diz Milena.

    Não esqueça que, no caso de aparelhos que possuam filtro de ar, deve ser feita a troca e limpeza do filtro do aparelho conforme a orientação do fabricante.

    3 – Algum tipo de aquecedor NÃO deve ser usado por quem tem criança em casa?
    Os aquecedores mais perigosos são os que utilizam gás GLP. Em ambientes internos e fechados eles não devem ser usados, pois quando a queima do fluido não é perfeita, ocorre a combustão e a liberação de monóxido de carbono. Como o gás não tem cheiro, cor e sabor, ele não é percebido. E, ao ser inalado, dependendo da quantidade, pode levar à morte.

    Caso esse tipo de aquecedor seja usado, uma dica é ficar atento à cor da chama do aquecedor, que deve estar azul. Se estiver amarela, é sinal de mau funcionamento.

    Crianças costumam ser curiosas, então evite acidentes colocando o aquecedor em locais fora do alcance dos pequenos,

    No caso dos aquecedores a óleo, é necessário colocar uma proteção em volta para impedir que os pequenos se aproximem, para evitar queimaduras.

    4 – Pode deixar o aquecedor ligado a noite inteira no quarto das crianças?
    Não, justamente por causa da redução da umidade do ar. O ambiente fica mais ressecado e, como consequência, nossas vias respiratórias também.

    Segundo a médica Milena Catani, o ar que respiramos é filtrado, umidificado e aquecido no interior do sistema respiratório, sendo que as fossas nasais são a porta de entrada do ar e as principais responsáveis pelo papel de filtrar a entrada de vírus, bactérias e impurezas do ambiente.

    O nariz ressecado aumenta a chance de doenças, especialmente nas crianças, que ainda tem o sistema imunológico, ou seja, as defesas do organismo, menos preparadas.

    Uma dica é ligar o aquecedor no quarto  por uma a duas horas antes de dormir e depois desligá-lo. Existem modelos com a função “timer”, para programar a duração de funcionamento do aquecedor.

    Os aquecedores com termostato também são uma boa opção, pois eles mantém a temperatura constante e se desligam quando chegam na temperatura programada.

    Por fim, vale lembrar que não é para transformar o quarto da criança em uma estufa, porque a temperatura alta não fará bem, podendo dilatar os vasos sanguíneos e levar a queda de pressão e oxigenação.

    Durante o dia, abra as janelas e deixe o ar circular no ambiente, livrando-o de possíveis agentes infecciosos que ali tenham se alojado.

    O ideal é que a temperatura do ambiente não passe de 24°C e esteja ventilado.

    5 – Pode ligar o aquecedor dentro do banheiro, durante o banho?
    Até pode, se o tempo de uso for curto, desde que não seja um aquecedor a gás, lembrando que esse tipo pode queimar o oxigênio do ambiente e, em casos extremos, até causar morte. “Sugiro aquecer o ambiente durante 30 minutos antes e desligar o aquecedor durante o banho”, diz Milena.

    Mas atenção: mantenha o aparelho bem longe do box, já que a presença de água pode aumentar as chances de choque elétrico e consequentes queimaduras.

     

     

     

     

  • Back to top