Seu filho não quer dançar quadrilha na festa junina? Saiba o que fazer - Cabeça de Criança
  • Seu filho não quer dançar quadrilha na festa junina? Saiba o que fazer



    Foto: Escola Santi / Flickr / Licença: Creative Commons

    O mês de junho já está aí e as festas juninas escolares estão à todo vapor. As crianças ensaiam suas danças com afinco. Mas, na hora H, é comum que alguns pequenos fiquem acanhados em se apresentar na frente de tanta gente.

    Isso pode gerar frustração nos pais. Afinal, todos nós queremos ver nossos filhos fazendo coisas fofas. Então, o que fazer se a criança realmente não quiser participar das danças juninas?

    Veja as dicas da psicopedagoga e analista do comportamento Michelli Freitas:

    1 – Controle as suas expectativas
    Lembre-se de que a festa é para as crianças. Os pais são apenas expectadores. “É fundamental perguntar, antes de mais nada, se a criança quer participar da dança”, diz Michelli.

    2 – Converse
    Nada como um bate papo honesto com a criança. Uma boa ideia é mostrar fotos de festas juninas anteriores e explicar tudo o que irá acontecer. Contar o que vai acontecer antes de um evento é uma ótima estratégia para diminuir a ansiedade da criança em relação à aquele acontecimento, seja ele qual for.

    3 – Envolva a criança nos preparativos
    Outra boa dica é inserir a criança no processo de preparação para a festa. Mostre opções de roupa para ela opinar e deixe que ela escolha os acessórios, como sapatos e chapéu, por exemplo.

    4 – Ofereça alternativas
    Se chegou a hora da apresentação e a criança não subiu ao palco ou entrou na quadrilha, uma ideia é pedir à professora para o pai ou a mãe entrar com filho. Se nem assim a criança quiser dançar, não insista e curta a apresentação da plateia mesmo.

    5 – Desencane
    A última dica é: se liberte das amarras do “socialmente inadequado” ou de “o que os outros vão pensar de mim e do meu filho?”. Para a psicopedagoga, não tem problema nenhum ser diferente dos outros. “Se os pais passam esse valor para o filho, estão criando um ser humano autoconfiante e maduro”, diz Michelli. Lembre-se sempre que a ideia da festa é se divertir. “Se a criança não se diverte, não faz sentido”, afirma a psicopedagoga.

     

  • Back to top