Crianças pequenas sentem efeitos do isolamento social, diz estudo - Cabeça de Criança
  • Crianças pequenas sentem efeitos do isolamento social, diz estudo

    Crianças pequenas sentem efeitos do isolamento social



    Crianças pequenas sentem efeitos do isolamento social
    Foto de Sharon McCutcheon por Unsplash

    Um estudo do Núcleo Ciência Pela Infância (NCPI), divulgado pelo Jornal Opção, constatou que as crianças pequenas também estão sentindo os efeitos do isolamento social durante a pandemia de coronavírus: aumento da dependência dos pais, desatenção, problemas de sono, falta de apetite e agitação.

    LEIA MAIS:

    As mudanças no comportamento dos pequenos têm levado muitas famílias a procurarem acompanhamento psicológico durante a pandemia. Ao jornal, a psicóloga e psicanalista Marcella Haick explica que as crianças da primeira infância absorvem mais “a instância psíquica” dos pais do que crianças mais velhas. Ou seja, os impactos da pandemia nos pais também são sentidos pelos filhos.

    O acúmulo de demandas é uma das queixas das mães, sobrecarregadas com o trabalho, os filhos e as tarefas domésticas. Além disso, os pais perderam o auxílio dos avós, a vida social e o suporte da escola na criação dos filhos. A reorganização da rotina da casa é uma das dificuldades enfrentadas nesse contexto.

    “Quando a mãe ia ao trabalho, estava ausente. Quando voltava, presente. Agora as crianças pequenas têm que interpretar uma outra história: a minha mãe está em casa, mas está ausente, pois está trabalhando. Informar as crianças dessa ausência/presença é muito difícil”, aponta a especialista.

    O ensino remoto para crianças pequenas tem sido outro desafio durante o período de isolamento social. Segundo a pedagoga Renata dos Santos, coordenadora de 2 a 5 anos, as crianças menores ficam ansiosas com as aulas online e têm dificuldade de concentração nas atividades. Os pais, por sua vez, se desgastam para ajudar os filhos nesse processo.

    Apesar dos problemas, ela destaca o “avanço” das crianças que dão continuidade ao ensino a distância. Segundo a pedagoga, dependendo da forma com a professora e a escola fazem a abordagem do processo de aprendizado, a criança consegue absorver os estudos. A pedagoga acredita que as crianças de todas as idades conseguem se adaptar ao regime educacional imposto durante a pandemia de coronavírus.

  • Back to top