Devo amamentar se estiver com suspeita ou confirmação de covid-19?
  • “Pergunte ao especialista”: devo amamentar se estiver com suspeita ou confirmação de covid-19?

    Devo amamentar se estiver com suspeita ou confirmação de covid-19?



    Nesta edição da seção “Pergunte ao especialista”, a dúvida é: devo amamentar se estiver com suspeita ou confirmação de covid-19?

    Devo amamentar se estiver com suspeita ou confirmação de covid-19?
    Imagem de Jan Kopřiva por Unsplash

    LEIA MAIS:

    A resposta é do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), com base nas orientações técnicas do Ministério da Saúde e Fiocruz, da Organização Pan-Americana de Saúde e da Sociedade Brasileira de Pediatria.

    Resposta:

    Sim, você deve amamentar, já que o leite materno tem todos os nutrientes e anticorpos necessários para manter o bebê saudável, aumentando a imunidade e ajudando a protegê-lo de infecções.

    Os bebês com menos de 6 meses de idade devem ser amamentados exclusivamente. Nem mesmo água é necessário ofertar. Para bebês acima de 6 meses, o indicado é continuar amamentando e também oferecer alimentos complementares.

    Posso passar a covid-19 para o meu bebê pelo leite materno?

    Ainda não existe nenhuma evidência de transmissão do novo coronavírus por meio do leite materno, mas pesquisas ainda estão sendo conduzidas.

    No caso das parturientes assintomáticas ou que não tenham contato domiciliar com pessoas com síndrome gripal ou infecção por covid-19 confirmada, a amamentação pode ser feita normalmente. É importante manter o contato pele a pele com o bebê logo após o parto, pois isso ajuda no aleitamento materno na primeira hora de vida.

    E se eu estiver com suspeita ou confirmação de covid-19?

    Para as parturientes com sintomas ou com covid-19 confirmada, antes de amamentar a mãe deve passar por cuidados de higiene, como banho no leito, troca de máscara, de roupas e lençóis. Também é recomendado manter uma distância de dois metros entre o leito da mãe e o berço do recém-nascido.

    Outros cuidados necessários são lavar as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos antes e depois de tocar o bebê e usar máscara facial de pano ou cirúrgica durante as mamadas, cobrindo nariz e boca e evitando falar ou tossir durante a amamentação. A máscara deve ser trocada em caso de tosse ou espirro ou a cada nova mamada.

    Evite que o bebê toque seu rosto, especialmente boca, nariz, olhos e cabelos.

    Não é necessário lavar as mamas entre as mamadas, apenas se a mãe tossir ou espirrar em cima delas.

    É indicado que os outros cuidados com o bebê que não sejam amamentação sejam realizados por outra pessoa na casa que não tenha sintomas e não esteja doente. Recomenda-se usar luvas cirúrgicas para trocar as fraldas.

    Caso a mãe esteja se sentindo muito doente para amamentar, a orientação é tentar ordenhar o leite manualmente ou com bomba extratora, aplicando os mesmos cuidados de higiene como lavar as mãos e usar máscara, e outra pessoa oferecer o leite ao bebê com um copinho ou colher limpos.

    Atenção para as recomendações para limpeza das bombas de extração de leite e de todos os utensílios e recipientes de armazenamento de leite.

    Manter a ordenha também é importante para estimular e manter a produção de leite, para que a mãe possa amamentar o bebê quando voltar a se sentir bem.

    Se não for possível ordenhar o leite ou acessar bancos de leite humano, converse com o pediatra.

    E se o bebê contrair covid-19?

    Se o seu bebê ficar contrair o coronavírus, continue amamentando mesmo assim. A amamentação estimula o sistema imunológico do bebê e os anticorpos da mãe serão transmitidos para ele por meio do leite, ajudando-o a combater a infecção.

  • Back to top